Jorge Drexler: meu mestre espiritual

21 set

Drexler é meu Osho

Tenho uma amiga que diz: ” O Tempo passa e nao adianta, voce continua gostando desse uruguaio chato”. E Jorge Drexler eh meu Osho.  Tem gente que vai a India e, embora eu ainda nao possa descartar essa possibilidade, eu vou a Drexler.Eh para ele que eu corro quando algo me aflige a alma. Eh possivel que existam cantores melhores, menos populares, mais eloquentes, mais letrados, mas eu me acostumei a recorrer a Drexler e sua farmacia de letras quando preciso. Talvez seja puro habito, comodismo. Talvez eu nao seja tao afinada musicalmente. Eh possivel que ele flerte perigosamente com o pop, que eu ame jazz, yeah yeah rock n roll. Mas, o uruguaio foi,durante pelo menos os ultimos seis anos de minha vida, a trilha sonora dos melhores e piores momentos de minha odisseia. Sou perigosamente apegada e dependente dele em uma relacao mais ou menos inexplicavel. Ele faz parte da minha memoria auditiva como certos cheiros sao de minhas lembrancas mais olfativas. E talvez porque, em periodos muito dificeis, Drexler tenha sido meu divã. Dizem que falar cura, é um dos principios da psicoanalises, mas escutar também vem me ajudando ao largo desse tempo.   Por isso, quando posso vou a todos os shows. E foi assim que, desembolsando o dinheiro que nao tinha, fui assisti-lo no Teatro Gran Rex, no coracao da Avenida Corrientes, no domingo a noite. Eu acho que nao sou excecao. Nos primeiros shows dele conheci gente que empreendia viagens internacionais com o unico intuito de ve-lo.

DREXLER, DOMINGO, NO GRAND REX

Somos como uma sociedade secreta e viciada que aguarda anciosamente seus lancamentos entrando em listas de esperas de lojas de discos. Mas afinal o que ha em Drexler? Nada demais. E eh isso que nos atrai. Uma simplicidade quase insolita. Uma franqueza quase ludica. Uma sonoridade de roda de violao, fogueira e banquinho. Nos ultimos anos o vemos ganhando popularidade. Acompanhamos sua ascencao com cautela, prefeririamos mante-lo segredo, mas secretamente comemoramos seu sucesso. O fantasma do pop nos assombra. Um medo de que entre para as trilhas das novelas que nos aflige. Queremos trancar Drexler em uma caixinha de musica. E a contradicao reside no fato de querer dividi-lo com o mundo. O show de ontem foi uma grande viagem pela estrada da memoria. Ele é super divertido, fala para dedeu, ja fui a tantos shows que reconheço suas piadas e me divirto com suas chatices, típicas de um meticuloso virgiano.  Enquanto ele ia cantando, acompanhado de sua nova matilha de sopro, eu ia me dirigindo para dentro de minhas lembrancas tao embaladas por suas toadas uruguaias. Ia me despedindo da gente que foi, dando bemvindas aos que vieram, acomodando os que ficaram e cantando junto. Y que sea lo que sea…

VAMOS DESCULPAR O POWERPOINT E SER FELIZ COM A CANÇAO

Fica aqui minha dica musical, em um novo espirito altruista de dividir o que ja foi avareza , meu presente do outro lado do Rio Prata lembrancas de um Uruguai que ainda nao conheci, mas que fica na outra margem do rio onde vivo. Rema, rema…

8 Respostas to “Jorge Drexler: meu mestre espiritual”

  1. Vivi 21 de setembro de 2010 às 11:11 PM #

    Inexplicável como TUDO que vc disse se aplica ao meu caso de amor com o Drexler!!! Eu, às vezes, ainda duvido que ouço a previsão do tempo na C5N com sua música ao fundo! O que era tão guardado na caixinha de música (como vc disse), agora faz parte de um cotidiano tão real que assusta! Acho que é caso de amor pra vida toda, porque ele tá cada vez melhor!

  2. mari 22 de setembro de 2010 às 5:17 PM #

    tem um monte de gente mesmo que gosta dele. to começando a me achar chata…
    obrigado pela citação, anyway.
    (e a palavra é aflige, dona gabi virando portenha)

  3. carla 5 de outubro de 2010 às 1:41 AM #

    menina! sou de sp e fui a buenos aires só para ve-lo (quer dizer, não só, mas foi a gde desculpa!). vi esse mesmo show, mas no sábado… só me apaixonei mais…

  4. Samara Leonel 11 de agosto de 2011 às 3:12 PM #

    Sei que o post é bem antigo, mas imagino que sua paixão continue.
    Fiquei quase brava com o seu texto, porque eu praticamente o podia ter escrito… rsrs
    Você descreveu o sentimento à perfeição. Cheguei às fileiras no último ano e estou indo a Buenos Aires em outubro para vê-lo. Exatamente como.
    Sim, ele tem toda uma simplicidade, uma falta de afetação. E uma frase perfeita para cada momento e sentimento. De certa forma esse uruguaio-chato-falastrão-meticuloso-virginiano está mais perto de nós e de nossos sentimentos que qualquer outro músico mais original ou exótico. Como ele mesmo diz, lhe interessa mais emocionar que surpreender. E isso, ele faz à perfeição.
    Obrigada por esse texto que iluminou minha manhã.

  5. P. 5 de setembro de 2011 às 11:20 AM #

    Assino embaixo do seu post. Sou fã do Drexler e, se pudesse, tbm iria pra Buenos Aires só para vê-lo. Infelizmente, não tem como. Quem sabe numa próxima?
    Só queria ressalvar que Drexler é excelente letrista, e se destaca atualmente. Ele escolhe muito bem as palavras, tem prosódica mto boa. A mesma coisa podem ser ditas de grande parte de suas melodias, bem elaboradas. E o último cd é um requinte nos arranjos: uma pérola.

    Acho a carreira dele tão bonita. Se vc escutar os primeiros cds, aí sim pode se dizer que não existe nada de mais no Drexler – com exceção de uma ou outra canção (“Montevidéo” e “Cara B” vem à cabeça). A música dele, em especial as letras, evoluiu de modo majestoso. Eu gosto, p.ex., de “Antes” e de “Me Haces Bien”, mas, se fosse por músicas assim, eu não nutriria paixão por ele. Acho bacana que o Drexler tenha um repertório pop bobinho-melosinho. Particularmente não gosto de artista que só faz coisa dita como “intelectual”, acho limitado, sabe? Afinal, só se aprecia bem o doce quando já se provou o amargo.

    Abração,

    • Samara Leonel 17 de outubro de 2011 às 12:56 AM #

      Olha, acabo de voltar da viagem. Tive oportunidade de assistir o concerto em Buenos Aires e mais um em Montevideo, ao ar livre. Estou postando minhas impressões no meu blog – sobre a viagem toda, mas óbvio que chegarei nele. Se tiver interesse, dá uma espiada. Abraço!

      • conexaobuenosaires 17 de outubro de 2011 às 12:59 AM #

        Eu fui no show dele em Buenos Aires e to morrendo de inveja de quem assistiu o Drexler em Montevideo, vi videos emocionantes! Poste sim, vou ser avida leitora.
        Abracos e obrigada,

        Gaby

  6. Samara Leonel 17 de outubro de 2011 às 2:37 PM #

    Em que dia você foi? Eu fui no dia 07, sexta-feira!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: