Tag Archives: Evita

Boemia Peronista

8 mar

"Sabemos perfeitamente que o peronismo nao se proclama e nem se aprende. O peronismo se sente e se comprende".

O jornal La Nacion publicou uma matéria ótima hoje sobre os bares Peronistas de Buenos Aires. Nao deixam de ser bares temáticos. Mas, sinceramente, os que visitei eu gostei. Acho super válido para quem vem a cidade e quer entrar na vibe Evita-Perón. Até porque até para os Argentinos a proposta nao deixa de ser interessante. Eu já tentei abordar o tema peronismo aqui no blog em algumas instancias (sempre cheia de dedos!!!). Perón n Bossa , Perón y Eva  , Viva PerónA intensa vida de Evita depois de morta , etc!

Mas legal mesmo é curtir um poco de historia, tomar um café com Evita, bater um papo com Perón. Eu adicionaria á nota o belo patio do Museu da Evita que nos dias de sol é uma bencao!

Deixo aqui a nota do La Nacion, com mapinha e tudo!

Imperdivel!

Perón N’ Bossa

11 dez

 

Quem segue este blog sabe que eu já tentei explicar Peron e o Peronismo sob protestos dos meus amigos argentinos em inúmeras ocasiões frustradas. Se nem os argentinos estão de acordo em uma definição para o movimento, não serei eu, humilde blogeira, a derrotar essa batalha logística.

Ontem, meus colegas acharam engraçado o fato de que eu, uma brasileira, pudesse cantar a Marcha Peronista na integra. E eu lhes contei que era parte do grupo dos estrangeiros peronistas “Peronistas Gone Wild”, piada é lógico.

O fato é que a marcha peronista é o hino da massa argentina, cantado nas celebrações na Plaza de Mayo e em ocasiões como a posse da presidenta eleita Cristina Kirchner que ontem mudou a rotina de um dia de calor na Capital.

Eu tenho gravado no meu computador – para entreter amigos em visita a Maison de Gaby – varias versões da Marcha Peronista, incluindo heavy metal, jazz e até cumbia. Mas, essa aqui, esta perola digo, supera todas.

Divido aqui, Peron N Bossa porque no peito dos desafinados também bate um peronista.

Juan y Eva, Amor, ódio, revolução

20 set

Vou confessar que penso duas vezes cada vez que considero a idéia de escrever algo sobre Perón ou Evita. Se no Brasil se diz que futebol, política e religião não se discutem, na Argentina a esta lista deveríamos adicionar o Peronismo.

A verdade é que muitas vezes ao perguntar a um Argentino o que é o Peronismo recebemos respostas etéreas do tipo “o peronismo é tudo.” No Brasil, muitos tentam explicar Perón comparando-o ao fenômeno Getúlio Vargas. Mas, a verdade é que a persistência da imagem do General Juan Domingo Péron deixa pálido qualquer paralelismo com figuras históricas Brasileiras. Vivendo hoje na Argentina consigo apenas imaginar a segunda revolução que causou a escolha da estrela pop Madonna para encarnar Eva Duarte na telona.

Osmar Núñez encarna Perón.

Não pretendo entrar em polemicas sob pena de destapar minha ignorância. Nem dizer que o filme Juan y Eva – que estreou na Argentina há seis dias e já ganhou menções honrosas até da presidenta Cristina Kirchner – é um documento histórico. E sim que contém cenas históricas de eriçar a pele. Quando recomendei a Novela de Perón do escritor Tomaz Eloy Martinez para aproximar meus amigos e leitores brasileiros do personagem histórico do general fui reaprendida por alguns amigos Argentinos. A verdade é que na Argentina o bem mais difícil de obter é o consenso. Principalmente quando o assunto é o Peronismo. Cheguei a dizer que existem Peronistas como existem Flamenguistas e Corintianos no Brasil. Mas, a analogia é podre, eu confesso.  

Eva e Perón, a estória de amor chega a telona.

Acho é difícil explicar o fenômeno Evita e Perón porque até mesmo os próprios Argentinos ainda o estão dissecando. Prova disso é o novo filme da diretora Paula de Luque que explora a relação do general com sua segunda esposa Eva Duarte. O filme Juan y Eva, Amor, Odio y Revolúcion traz as telas argentinas o romance do casal mais celebre daqui tentando evitar clichês e os detalhes mais sabidos das vidas desses personagens cujas vidas e mortes já foram exumadas de todas as maneiras possíveis. “Eu queria um filme que transitasse no momento em que eles estão construindo a si mesmos,” explicou a diretora em entrevista ao jornal Página 12. De Luque admite que, na verdade, a estória de amor de Evita e Perón é desconhecida e “ficcional”.

A história de amor de um general em ascensão e de uma jovem atriz começa com um terremoto.

Uma estória de amor que começa com um terremoto.

O terremoto que devastou San Juan em janeiro de 1944 é o pontapé de partida para a estória de amor que mudou o curso da história de um país. Uma trilha sonora impecável e a atuação memorável dos atores Osmar Núñez e Julieta Díaz nos conduzem a uma Argentina de outra era, mãe do país  que conhecemos hoje. Com uma coleção de imagens histórias e um enredo político elaborado, De Luque tenta dar uma espiadinha alcova  de Eva e Perón enquanto nos leva aos labirintos históricos da ascensão de Perón ao poder antes de chegar a presidente democraticamente eleito em fevereiro de 1946. A surpresa do filme para mim foi o retrato de Evita como uma matuta “chica de pueblo”, obstinada, mas quase frívola em seu amor pelo general. Mais uma vez, evitando polemicas, termino por aqui. Mas, fico na torcida que o filme chegue aos cinemas do Brasil e que o público brasileiro tenha a algum acesso a dois dos grandes personagens da historia latino americana.

Serviço:

Deixo aqui duas dicas (ainda que existam mais dicas para dar em uma cidade impregnada por essas figuras históricas) de lugares bacanas para curtir uma vibe peronista.

Perón e Eva na vida real.

Uma é o Museo de Evita, um pequeno casarão em uma das minhas zonas preferidas de Palermo em que é possível ter um almoço agradável em um pátio interessante e saber um pouco mais sobre Eva Duarte.

Terças a domingos de 11hs. a 19 hs.

Horário do Restaurante e Bar

Segundas a domingo de 9 a 0 horas 

Endereço: Lafinur 2988

http://museoevita.org

O outro é o bar Peronista Perón Perón Restobar. É pensar num bar temático como existem os de times de futebol no Brasil. Um bar com referencias, imagens e até um cardápio inspirado do no General. Atenção vá menos pela comida e mais pela experiência.

Angel Carranza 2225, Palermo Hollywood.

Confira:

http://www.guiaoleo.com.ar/restaurantes/Peron-Peron-Restobar-9456

 Confira abaixo o que a humilde blogueira já escreveu sobre o casal:

https://conexaobuenosaires.wordpress.com/2011/07/01/viva-peron-viva-peron-2/

https://conexaobuenosaires.wordpress.com/2010/07/26/a-intensa-vida-de-evita-depois-de-morta-2/

 

 

 

Salvando Caio F.

12 set

Como jornalista nem sempre posso escrever boas estórias. Tragédias, ofícios, mercado financeiro, assassinatos, terremotos costumam dominar o noticiário. Já disse aqui que adoraria ser uma jornalista que escreve finais felizes ou realizar um serviço publico escrevendo sobre causas que exigem mais atenção que a perpetuação das exceções e anormalidades que abundam nas manchetes. Evita Perón dizia que onde há uma necessidade nasce um direito. Agora, se faz necessário dar uma mão aos amigos e falar sobre uma boa causa. Muita gente se empenhou, mas a casa do escritor gaucho Caio Fernando Abreu não virou museu. É se pensar como um país que despeja milhões num blog da Maria Bethania, com tantas licitações e atores que embolsam grana de filmes não fez por um dos maiores escritores brasileiros do século XX.

Agora, é preciso adaptar a batalha e seguir em frente com ou sem ajuda governamental. E é nesse espírito que nasce a Associação de Amigos do Caio Fernando Abreu que pretende fazer um pouquinho pela memória de um escritor que fez tanto por nossa cultura contemporânea. Hoje entrou no ar o blog CONFIRA AQUI!, uma batalha que vejo minha amiga Liana Farias travar há mais de um ano. Ajude, associe-se e desfrute de um pouquinho do que o Caio deixou para gente e celebre o que seria o aniversario de 63 anos do Caio se estivesse entre nosotros.

Deixo aqui minha pequena contribuição com a matéria que publiquei hoje em Buenos Aires para o jornal em que trabalho. LEIA NA EDIÇAO ONLINE AQUI!!!!!

E os desejos de muitas primaveras com Caio e de mais valorização do que é cultura no Brasil. Com tanta riqueza cultural, chega ser avarento não apoiar.

Saving Caio F.

By Gabriela G. Antunes

BuenosAiresHerald.com staff

Last year, Liana Farias, an obstinate newly graduated communications major from Brasilia , was in a crusade to save Brazilian famous novelist Caio Fernando de Abreu’s house from dismemberment. Unable to pay the mortgage bills for the house where Caio F. spent most of his life, and without any governmental support, the family was losing its battle to create a sanctuary out of his Porto Alegre home.

Since then, the house has been sold to ordinary tenants shattering Farias’ dreams of ever turning the house of one of the most important Brazilian contemporary authors into a museum and institute for young writers. The new tenants, in a good will gesture, have allowed a metal plate to be put in the house’s front gate facade as an indication of where the writer’s lived, a small token of appreciation for a man who has done so much for the countries’ contemporary literary history. A little contest was launched online by a local writer to decide which Caio F. citation should appear in the metal plate.

Brazilian novelist Caio Fernando de Abreu was born in Santiago do Boqueirao in the outskirts of industrial southern city of Porto Alegre in 1948 having published hundreds of short stories, plays, romances and children books in Brazil, Europe and in Argentina. A writer’s writer as well, Caio F. is seen as one of the giants of the Brazilian literature. Writer Lygia Fagundes Telles, an immortal of the Brazilian Literary Academy, used to call him the “passion writer” and one of Brazil’s biggest contemporary short stories writer, Martha Medeiros, calls him “super Caio” making him not only a hit on social networks but also on intellectual circles.

“ Caio F. Is one the most representative writers of his generation. He voiced relevant conflicts of his age, translated into words an entire era. He was also one of the first to freely and pungently to talk about sexuality issues,” explains Ítalo Moriconi, a University professor who compiled the novelist’s life correspondence into a book.

A journalist and columnist for the countries’ top publications such as Veja and Istoe magazine, newspapers O Estado de S. Paulo and Zero Hora, Caio F. has become one of the most important voices for at least two generations being one of the first to talk of about preservation and ecology also raising a flag for sexual minorities before dying of complications related to Aids in 1996.

“I came in contact with Caio’s writings back in 2003 when a friend of mine gave me a short story to read. I got obsessed and started acquiring every book I could get my hands on. I ended up writing a thesis on him. Since that day when I first read Caio’s work we never parted ways. I became involved with the preservation of his legacy, met his family, reunited his friends and started a crusade to preserve his work,” says Liana Farias as she tries to gather support for her new project aimed towards the preservation Caio’s writings.

A new generation of followers emerged since then. One of the writer’s Twitter profiles has over 100.000 followers and a Facebook applicative with his famous quotes is a hit on the internet with thousands of users. His reach even after his death have is turning Caio F. one of the most relevant Brazilian writers of the Twentieth century. “We are getting close to 50.000 followers which demonstrate that keeping his positive memory alive is worth it. With no marketing whatsoever and new followers coming in everyday, I still get surprised by the public response. It just ordinary people who like Caio´s writings,” explained Liliane da Silva Moreira, community manager of one of Caio F’s most prolific twitters accounts.

“I met Caio while working for Abril publishing house in Sao Paulo in the seventies. We were both young journalists, me an inexperienced author and him a more mature writer with a lot of journalist experience and published material. We clicked immediately and our friendship grew into one full of letters, cards, notes and faxes to each other. We travelled a lot together and our experiences quickly transformed into a literary dialogue in the newspapers’ columns,” remembers Caio F.´s famous writer friend Paula Dipp.

Caio F. writings transcended borders and arrived in Argentina by the hands of translator and Professor Graciela Ferrarris, a Cordoba province native, who fell in love with Caio’s work while in College. “I was seduced by his writing style, the neatness of his work, the subtleness and his poetic prose. He was a word affectionate and that becomes very evident in his texts,” stresses Ferrarris explained her reasons for bringing Caio F.’s universe to Argentina by translating his books.

Ferrarris stresses there are big parallels between Caio´s work and Argentine literature. “At some point Caio stated he related more with the “drifter” in Horacio Quiroga´s short stories than contemporary Brazilian authors who he felt were distant and encompassing different contexts,” she says .

Famous artists, writers, singers, astrologists, actors, presenters, journalists are among Caio F. followers and now coming together to try to save his work from forgetfulness. Unable to gather the necessary governmental support to buy out the novelist’s house from an uncertain future, Liana Farias embarked in a new project to preserve the writer’s memory. She gathered the latest novelist friends and admirers into an Association which goal is to preserve the writer’s legacy, organize his writings, honor his memory and bring the reader’s closest to him. The project is being launched today during an event organized by family and friends in Porto Alegre in what was supposed to be the author’s 63rd birthday if he were alive. It is yet another effort to save the writer’s memory from oblivion and government neglecting. As Caio used to say “what is drama today, always, will be quiet in memory tomorrow.”

Cristina no País das Maravilhas

16 ago
 

Cristina Kirchner provando a temperatura do Rio de Prata ontem em Puerto Madero.

Faltou cantar La Cumparsita em ritmo de cumbia. A esmagadora vitoria de Cristina Kirchner ontem no sistema de primarias, realizadas pela primeira vez no pais, deixou o governo rindo a toa no pais, fez com que a imprensa, ate a inimiga, reconhecesse a punjanca da atual presidenta e que Nestor Kirchner aplaudisse do alem. Esta dada a largada para eleicoes presidenciais em Outubro que nao promete muitas sorpresas. Despois de mais de 50 % dos votos para Crisssss, a senhoura so perde ser for pega violando o cadaver de Peron ou na cama com Menem.

CFK (Madame Cristina baby) esta rindo a toa a caminho de mais quatro aninhos de Casa Rosada. Com ela vai meu personal crush, Amado Boudou, pelo qual nao tenho uma queda, tenho um abismo. Ares de gatao de meia idade, paixao por motocicletas, rock n roll e casado com uma jornalista da minha idade ( nao perco as experancas), Amado Boudou eh presenca constante nos comicios de Cris. Rei de Puerto Madero, onde pode ser visto pelo point porteño Happening e total sindrome de Peter Pan, Bubu ( como eu gosto de chama-lo) rocks my world apesar da barriguinha prominente recem adquirida nos coffee breaks do Ministerio de Economia da mais que um caldo, eh da um Puchero….cozidao daqui.

Boubou a namorada jornalista, tomara que va cobrir Iraque minha filha!

Foi uma experiencia unica encarar o plantao de domingo na redacao e acompanhar de um jornal argentino uma eleicao aqui (trabalho para o Grupo Ambito Financiero). Palavras dos meus patrocinadores http://www.ambito.com.ar e http://www.buenosairesherald.com

Os resultado de ontem foram um enorme “voces vao ter que me engolir” de Cristina que, como Lula, vivia tomando porrada da imprensa, principalmente do Grupo Clarín. Esta mesma imprensa nao teve opcao se nao se curvar ao enorme apelo popular de Cristina que, bem verdade, banca a viuvinha missionaria. Mas, gostando ou nao de Cristina, as opcoes ja nao eram alentadoras. Competindo com ela vem Duhalde e Alfosin. Pesquisem! O interessante eh que um clima de ja ganhou invadiu o pais desde de ontem, cheio de especialistas que nem precisavam ser tao especiais para prever uma vitoria falando e promessa de CFK esta mais eterna que Evita nessa Buenos Aires!

Cristina, mais eterna que Evita!

PS: Uma das meeeelhores imagens do dia de ontem foi a de Menem indo votar. O fiscal de mesa teve que tocar seu “ bigurlim” para defender-se da ma sorte que traz o presidente Carlos Menem. Eh um gesto comum contra a ma sorte, mas o flagrante eh im-pa-ga-vel! E a materia explicando a atitude do mesario que saiu quentinha aqui da redacao ficou otima tambem! LEIAM AQUI!

Festinha no QG Kichnerista!

Viva Peron, Viva Peron!

1 jul

Hoje faz exatos 37 anos da morte do General Juan Domingo Peron, certamente uma das maiores figures historicas nacionais. Precisaria de outro post para explicar o que o movimento criado por Peron, o Peronismo, significa por aqui. Existem muitas formas bacanas de se informar sobre a vida do general. Uma boa opcao eh ler o livro do gigante Tomas Eloy Martinez, La Novela de Peron.

Eu hoje deixo aqui o texto dos meus companheiros de trabalho dojornal Ambito Financiero AQUIIIIII!!!!o!, super redondo. Eu trabalhando aqui sou suspeita eu sei. A marcha peronista e a dica para que visitem o bar Peronista Peron Peron (Perón Perón Resto Bar – Carranza 2225 – Tel.: 4777-6194 terca a Domingo, de 10 hs ate que va embora o ultimo companheiro) uma verdadeira viagem no tempo. Imperdivel. E, se o frio deixar, um belo almoco no Museu da Evita.

 Viva Perrrrrrrrrrooooooooooooooooooooooooooooooooooooon!

Don’t cry for me Argentina

26 jul

 

Para quem estiver pela Capital e quiser ver de perto um pouco da comoção causada pela na celebração dos 58 anos da morte de Evita Perón, fica a dica: as 18hrs no encontro da Av. Belgrano e 9 de Julio, procissão de tochas organizada pela Corriente Nacional del Sindicalismo Peronista e outras 62 associações. Confira o roteiro completo AQUI!!!!!