Tag Archives: peronismo

Boemia Peronista

8 mar

"Sabemos perfeitamente que o peronismo nao se proclama e nem se aprende. O peronismo se sente e se comprende".

O jornal La Nacion publicou uma matéria ótima hoje sobre os bares Peronistas de Buenos Aires. Nao deixam de ser bares temáticos. Mas, sinceramente, os que visitei eu gostei. Acho super válido para quem vem a cidade e quer entrar na vibe Evita-Perón. Até porque até para os Argentinos a proposta nao deixa de ser interessante. Eu já tentei abordar o tema peronismo aqui no blog em algumas instancias (sempre cheia de dedos!!!). Perón n Bossa , Perón y Eva  , Viva PerónA intensa vida de Evita depois de morta , etc!

Mas legal mesmo é curtir um poco de historia, tomar um café com Evita, bater um papo com Perón. Eu adicionaria á nota o belo patio do Museu da Evita que nos dias de sol é uma bencao!

Deixo aqui a nota do La Nacion, com mapinha e tudo!

Imperdivel!

Perón N’ Bossa

11 dez

 

Quem segue este blog sabe que eu já tentei explicar Peron e o Peronismo sob protestos dos meus amigos argentinos em inúmeras ocasiões frustradas. Se nem os argentinos estão de acordo em uma definição para o movimento, não serei eu, humilde blogeira, a derrotar essa batalha logística.

Ontem, meus colegas acharam engraçado o fato de que eu, uma brasileira, pudesse cantar a Marcha Peronista na integra. E eu lhes contei que era parte do grupo dos estrangeiros peronistas “Peronistas Gone Wild”, piada é lógico.

O fato é que a marcha peronista é o hino da massa argentina, cantado nas celebrações na Plaza de Mayo e em ocasiões como a posse da presidenta eleita Cristina Kirchner que ontem mudou a rotina de um dia de calor na Capital.

Eu tenho gravado no meu computador – para entreter amigos em visita a Maison de Gaby – varias versões da Marcha Peronista, incluindo heavy metal, jazz e até cumbia. Mas, essa aqui, esta perola digo, supera todas.

Divido aqui, Peron N Bossa porque no peito dos desafinados também bate um peronista.

Cristina, que la sigan chupando…

24 out

As famosas e desbocadísimas declaracoes do Santo Argentino Diego Armando Maradona bem que podiam ter saido da boca de Cristina Fernández de Kirchner ontem. Mas, ela é fina demais para isso. Que la sigan chupando tem uma conotacao pouco erudita na Argentina, mas no Brasil eu sei que o negócio soa ainda pior.

Mas a verdade é que que quem nao gosta dela vai ter “seguir chupando” esta manga, senta que é de menta. Eu sinto muito, mas é chulo mesmo. Cristina ontem conseguiu uma vitória histórica com mais de 53% dos votos, em uma eleicao que poderia ter sido pulveridada pela enorme quantidade de candidatos, atingindo um dos maiores apoios populares a um lider que o país já viu. Para se ter idéia a melhor marca até entao havia sido de sua Santidade o Genral Juan domingo Perón, um icone que já deixou a categoria política para entrar no Olimpo sudaca.

La Nacion, pelo visto ja ta chupando...

Com a costumeira voz embargada, o vestuario negro – que Cristina adotou após a morte de seu marido Néstor – Cristina chegou ontem a uma Praca de Maio inundada de gente. Sempre a Praca de Maio como se a historia argentina se encontrasse pontualmente no mesmo lugar para acontecer.

Hoje pela manha felizes e amargos dividem o trem. Mas, ninguem teve que chupar tanto esta manga quanto os jornais. Principalmente, o Clarín e o La Nación. Dois dos maiores jornais argentinos. Nao deve parecer surpresa para um brasileiro que a imprensa esteja contra uma figura popular como Cristina. No Brasil, o Lula passava por um corredor polones midiatico diario enquanto desfrutava de niveis de aprovacao mais do que generosos.

Cronica nao está chupando.

Cristina comprou brigas historicas com o Clarin e ontem, em uma clara demonstracao politica o jornal La Nacion dizia em sua manchete: Cristina vai pelo poder. Hoje, para o jornal, ela havia conseguido o que queria. “ A presidenta, todo o poder”, em letras garrafais. Ame ou odeie Cris, ela nao é nenhuma ditadora, conta com apoio popular. O que pode sim ser questionado, ao meu ver, é o uso dos meios de comunicacao do Estado para propaganda. Mas, sinceramente, por as lentes brasileiras para analisar a midia Argentina é meio que colocar o Galvao Bueno para narrar uma tourada.

Clarín, o primeiro a chupar por quatro anos.

O sistema é outro. Se para o Obama Lula é “ o cara” aqui cristima é “o modelo”. Desde o peronismo Argentina sustenta esta predilecao a dinastias politicas. Nao é nepotismo é uma especie de escola do poder. O mérito de Cristina nao é apenas ter se reeleito é ter conseguido uma das maiores raridades na Argentina: certa unanimidade. Em um país cujas opinioes saem mais as ruas que as pessoas, os Argentinos parecem concordar em pouquissimos pontos. Aparentemente, Cristina é um deles. E para quem nao gosta dela nao resta outra se nao seguir “chupando” pelos proximos quatro anos…

PS: aqui na redacao eu disse desde o comeco que eu ainda escrever a manchete  “Ganó Cristina. PD: EL VICE PRESIDENTE ES UN BOMBONAZO!” *

*Ganhou Crisitna e o vice presidente é um gatao! Amado Boudou roqueirao de meia idade, tipo o gatao de meia idade mesmo, anda de moto, toca guitarra, usa jaqueta de couro, tem uma namorada 20 anos mais nova e deve deixar o Ministerio da Economia para se tornar o vice presidente mais hermoso da historia Argentina. Vai ser mais fácil nos olhos.

Cristina reeleita e blablabla, a boa noticia mesmo é Boudou.

Vai dar Cristina, duela a quien duela

23 out

 

O peronismo em peso.

 

O Bunker de guerra tava armado na redação. Mas, o clima era de total e paz tranqüilidade. Corre corre para dar conta de escrever as declarações de todos os sete candidatos a presidência da Argentina e suas verborragias antes de seus votos, mas fora isso nada que remotamente lembra a uma eleição presidencial em qualquer lugar do mundo.

A festa se armando.

Acontece que aqui, depois das primarias de agosto, onde ficou bem claro o apoio popular a presidente Cristina Kirchner, ninguém espera nenhuma surpresa. Cristina vai ganhar, quem não gosta dela vai reclamar, quem a curte vai ficar feliz e assim caminha a humanidade. Com a predileção argentina quase desportiva a reclamação generalizada, imaginei um domingo mais agitado na capital do país. Mas, parece que agitação mesmo só a festança que começa se armar na Plaza de Mayo. Passei por la na saída da redação e o circo estava armado. Turistas brasileiros perdidos aos montes, a juventude kirchnerista agitando o começo de festa, curiosos de mate em punho, crianças soturnamente alimentando pombos e até um velhinho doido já fazendo discurso.

Teve ate discurso do velhinho doido.

O climinha de já ganhou no ar. Falta a furgoneta branca das Madres de Mayo, a multidão peronista desaguar como inundação que vem do metro e Cristina sair à varanda da Casa Rosada falando da saudade que sente de Néstor. Sou a favor de Don t Cry for Argentina em ritmo de reggae animando a cálida tarde de primavera em Buenos Aires.  

Cartaz do lado da Casa Rosada.

Como o Lula, Cristina enfrentou a fúria dos jornais (inclusive os brasileiros) mais continua rainha absoluta da população Argentina, perdeu o marido em rede nacional, chorou em 10.000 discursos, mas continuou firme segurando as rédeas desta nação. A Argentina não é um país fácil; aqui as pessoas tem memória de elefante, opinião para tudo ( eu disse t-u-d-o), tendências messiânicas e são sindicalistas como um brasileiro é torcedor de futebol.

Mas, opiniões a parte, o fato é que vem mais quatro anos de CFK ai e como diria nosso Menem, Fernando Collor de Melo, em um momento que fez do mau portunhol uma arte, “duela a quien duela” ela tai por mais quatro anitos. PS: a expressão em espanhol é “caiga a quien caiga”.

Juan y Eva, Amor, ódio, revolução

20 set

Vou confessar que penso duas vezes cada vez que considero a idéia de escrever algo sobre Perón ou Evita. Se no Brasil se diz que futebol, política e religião não se discutem, na Argentina a esta lista deveríamos adicionar o Peronismo.

A verdade é que muitas vezes ao perguntar a um Argentino o que é o Peronismo recebemos respostas etéreas do tipo “o peronismo é tudo.” No Brasil, muitos tentam explicar Perón comparando-o ao fenômeno Getúlio Vargas. Mas, a verdade é que a persistência da imagem do General Juan Domingo Péron deixa pálido qualquer paralelismo com figuras históricas Brasileiras. Vivendo hoje na Argentina consigo apenas imaginar a segunda revolução que causou a escolha da estrela pop Madonna para encarnar Eva Duarte na telona.

Osmar Núñez encarna Perón.

Não pretendo entrar em polemicas sob pena de destapar minha ignorância. Nem dizer que o filme Juan y Eva – que estreou na Argentina há seis dias e já ganhou menções honrosas até da presidenta Cristina Kirchner – é um documento histórico. E sim que contém cenas históricas de eriçar a pele. Quando recomendei a Novela de Perón do escritor Tomaz Eloy Martinez para aproximar meus amigos e leitores brasileiros do personagem histórico do general fui reaprendida por alguns amigos Argentinos. A verdade é que na Argentina o bem mais difícil de obter é o consenso. Principalmente quando o assunto é o Peronismo. Cheguei a dizer que existem Peronistas como existem Flamenguistas e Corintianos no Brasil. Mas, a analogia é podre, eu confesso.  

Eva e Perón, a estória de amor chega a telona.

Acho é difícil explicar o fenômeno Evita e Perón porque até mesmo os próprios Argentinos ainda o estão dissecando. Prova disso é o novo filme da diretora Paula de Luque que explora a relação do general com sua segunda esposa Eva Duarte. O filme Juan y Eva, Amor, Odio y Revolúcion traz as telas argentinas o romance do casal mais celebre daqui tentando evitar clichês e os detalhes mais sabidos das vidas desses personagens cujas vidas e mortes já foram exumadas de todas as maneiras possíveis. “Eu queria um filme que transitasse no momento em que eles estão construindo a si mesmos,” explicou a diretora em entrevista ao jornal Página 12. De Luque admite que, na verdade, a estória de amor de Evita e Perón é desconhecida e “ficcional”.

A história de amor de um general em ascensão e de uma jovem atriz começa com um terremoto.

Uma estória de amor que começa com um terremoto.

O terremoto que devastou San Juan em janeiro de 1944 é o pontapé de partida para a estória de amor que mudou o curso da história de um país. Uma trilha sonora impecável e a atuação memorável dos atores Osmar Núñez e Julieta Díaz nos conduzem a uma Argentina de outra era, mãe do país  que conhecemos hoje. Com uma coleção de imagens histórias e um enredo político elaborado, De Luque tenta dar uma espiadinha alcova  de Eva e Perón enquanto nos leva aos labirintos históricos da ascensão de Perón ao poder antes de chegar a presidente democraticamente eleito em fevereiro de 1946. A surpresa do filme para mim foi o retrato de Evita como uma matuta “chica de pueblo”, obstinada, mas quase frívola em seu amor pelo general. Mais uma vez, evitando polemicas, termino por aqui. Mas, fico na torcida que o filme chegue aos cinemas do Brasil e que o público brasileiro tenha a algum acesso a dois dos grandes personagens da historia latino americana.

Serviço:

Deixo aqui duas dicas (ainda que existam mais dicas para dar em uma cidade impregnada por essas figuras históricas) de lugares bacanas para curtir uma vibe peronista.

Perón e Eva na vida real.

Uma é o Museo de Evita, um pequeno casarão em uma das minhas zonas preferidas de Palermo em que é possível ter um almoço agradável em um pátio interessante e saber um pouco mais sobre Eva Duarte.

Terças a domingos de 11hs. a 19 hs.

Horário do Restaurante e Bar

Segundas a domingo de 9 a 0 horas 

Endereço: Lafinur 2988

http://museoevita.org

O outro é o bar Peronista Perón Perón Restobar. É pensar num bar temático como existem os de times de futebol no Brasil. Um bar com referencias, imagens e até um cardápio inspirado do no General. Atenção vá menos pela comida e mais pela experiência.

Angel Carranza 2225, Palermo Hollywood.

Confira:

http://www.guiaoleo.com.ar/restaurantes/Peron-Peron-Restobar-9456

 Confira abaixo o que a humilde blogueira já escreveu sobre o casal:

https://conexaobuenosaires.wordpress.com/2011/07/01/viva-peron-viva-peron-2/

https://conexaobuenosaires.wordpress.com/2010/07/26/a-intensa-vida-de-evita-depois-de-morta-2/

 

 

 

Cristina no País das Maravilhas

16 ago
 

Cristina Kirchner provando a temperatura do Rio de Prata ontem em Puerto Madero.

Faltou cantar La Cumparsita em ritmo de cumbia. A esmagadora vitoria de Cristina Kirchner ontem no sistema de primarias, realizadas pela primeira vez no pais, deixou o governo rindo a toa no pais, fez com que a imprensa, ate a inimiga, reconhecesse a punjanca da atual presidenta e que Nestor Kirchner aplaudisse do alem. Esta dada a largada para eleicoes presidenciais em Outubro que nao promete muitas sorpresas. Despois de mais de 50 % dos votos para Crisssss, a senhoura so perde ser for pega violando o cadaver de Peron ou na cama com Menem.

CFK (Madame Cristina baby) esta rindo a toa a caminho de mais quatro aninhos de Casa Rosada. Com ela vai meu personal crush, Amado Boudou, pelo qual nao tenho uma queda, tenho um abismo. Ares de gatao de meia idade, paixao por motocicletas, rock n roll e casado com uma jornalista da minha idade ( nao perco as experancas), Amado Boudou eh presenca constante nos comicios de Cris. Rei de Puerto Madero, onde pode ser visto pelo point porteño Happening e total sindrome de Peter Pan, Bubu ( como eu gosto de chama-lo) rocks my world apesar da barriguinha prominente recem adquirida nos coffee breaks do Ministerio de Economia da mais que um caldo, eh da um Puchero….cozidao daqui.

Boubou a namorada jornalista, tomara que va cobrir Iraque minha filha!

Foi uma experiencia unica encarar o plantao de domingo na redacao e acompanhar de um jornal argentino uma eleicao aqui (trabalho para o Grupo Ambito Financiero). Palavras dos meus patrocinadores http://www.ambito.com.ar e http://www.buenosairesherald.com

Os resultado de ontem foram um enorme “voces vao ter que me engolir” de Cristina que, como Lula, vivia tomando porrada da imprensa, principalmente do Grupo Clarín. Esta mesma imprensa nao teve opcao se nao se curvar ao enorme apelo popular de Cristina que, bem verdade, banca a viuvinha missionaria. Mas, gostando ou nao de Cristina, as opcoes ja nao eram alentadoras. Competindo com ela vem Duhalde e Alfosin. Pesquisem! O interessante eh que um clima de ja ganhou invadiu o pais desde de ontem, cheio de especialistas que nem precisavam ser tao especiais para prever uma vitoria falando e promessa de CFK esta mais eterna que Evita nessa Buenos Aires!

Cristina, mais eterna que Evita!

PS: Uma das meeeelhores imagens do dia de ontem foi a de Menem indo votar. O fiscal de mesa teve que tocar seu “ bigurlim” para defender-se da ma sorte que traz o presidente Carlos Menem. Eh um gesto comum contra a ma sorte, mas o flagrante eh im-pa-ga-vel! E a materia explicando a atitude do mesario que saiu quentinha aqui da redacao ficou otima tambem! LEIAM AQUI!

Festinha no QG Kichnerista!

Viva Peron, Viva Peron!

1 jul

Hoje faz exatos 37 anos da morte do General Juan Domingo Peron, certamente uma das maiores figures historicas nacionais. Precisaria de outro post para explicar o que o movimento criado por Peron, o Peronismo, significa por aqui. Existem muitas formas bacanas de se informar sobre a vida do general. Uma boa opcao eh ler o livro do gigante Tomas Eloy Martinez, La Novela de Peron.

Eu hoje deixo aqui o texto dos meus companheiros de trabalho dojornal Ambito Financiero AQUIIIIII!!!!o!, super redondo. Eu trabalhando aqui sou suspeita eu sei. A marcha peronista e a dica para que visitem o bar Peronista Peron Peron (Perón Perón Resto Bar – Carranza 2225 – Tel.: 4777-6194 terca a Domingo, de 10 hs ate que va embora o ultimo companheiro) uma verdadeira viagem no tempo. Imperdivel. E, se o frio deixar, um belo almoco no Museu da Evita.

 Viva Perrrrrrrrrrooooooooooooooooooooooooooooooooooooon!