Tag Archives: quadrinhos

Tute per Te: Traindo Liniers

3 ago

Argentinos tem paixão por tirinhas. É, merecidamente, considerada literatura por aqui. O país tem grandes “historietistas” e dibujantes. Eu nunca escondi minha paixão pelo Liniers. Não vou abandoná-lo. Seu mundo absurdo e de devastadora ingenuidade já se misturou a minha experiência Buenos Aires. Outro dia fui a Boutique do Libro em Palermo (lugar imperdível por sinal, atrás da Plaza Serrano) e havia um desenho seu na parede, tive que me controlar para não ficar passando a mãozinha. Vinha ignorando os outros autores. Torcendo o nariz para as tirinhas do La Nación, Clarín e Pagina 12. Até que, no domingo, vi uma tirinha do Tute que me deixou intrigada. Não é tão ruim, pensei.  Sou uma pessoa fiel. “Não é nenhum Liniers”, pensei. Mas, é interessante. Fui como uma criança aprontando buscar referencias do Tute pedindo a são Google que me perdoasse a indiscrição.

Descobri o portenho  de 35 anos Juan Mathías Loiseau, ou Tute, mais um mocinho bonito, talentoso, macanudo e, com a licença de Liniers, divido aqui. E mais grave: o menino ainda tem uma super banda de tango e escreve poesía!!!!!! Lascouuuuuuu! Também está metido em cinema. Ai meu coração! Vale muuuuito a pena conferir seu blog. Essa bigamia ainda me mata! AQUI!!!!!  e ACÁ!!!!!!

Anúncios

Ataque noturno a Mafaldinha!

28 jun

Mafalda "El Clon"

 

Extra , extra, a Mafaldinha, da rua Chile com Defensa, em San Telmo, foi atacada por fashionistas! Os vândalos a vestiram de Mafalda de Mayo, Mafalda com Frio, Mafalda Lisérgica e até Mafalda do Clone! ( El Clon, é uma novela famosa por acá, viste?) 

Mafalda Inverno!

Mafalda Paz e Amor!

Mafalda Mae da Praça de Maio!

Onde viveu Mafalda?

 
 
 
Criador e Criatura em sua inauguraçao

Dizem que Mafalda vivia com seus pais Tomas e Raquel e seu irmãozinho Guille no bairro porteño de San Telmo, mais precisamente na Rua Chile 371, onde Quino, criador do personagem contestador residiu durante muitos anos. O Armazén de Manolito também fica no bairro de San Telmo, na Rua Balcarce.

Hoje, é um Maxikiosk0 ( para quem não sabe os “Kioskos” são uma entidade em Buenos Aires, pequenas lojinhas de guloseimas espalhadas por toda cidade, lembrando muito nossas “BR Mania”) com uma pequena placa comemorativa colocada por seus donos. Em agosto de 2009, o governo colocou uma Mafaldinha bem linda, feita pelo artista plástico Pablo Irrgang, sentadinha num banco da rua, com espaço perfeito para aaaaaquela foto.

Casa da MafaldaFalta descobrir onde viviam Felipe, Miguelito, Suzanita e, sobretudo, Libertad!

Comi Mosca Liniers!

28 maio

Ontem, por volta de umas sete da noite, me dei conta que havia esquecido do avant premiere do documentário El Trazo simple de las Cosas sobre o Liniers que eu queria tanto tanto tanto ir. Fiquei histérica dando ataque que nem travesti de BR em casa quando vi que esqueci de passar na produtora Ojo Cine para comprar os ingressos. Aqui do lado a produtora!  Enfim, dia 03 de junho estréia nos cinemas.

Eu vou, sem ganhar de brinde meu livro Macanudo, nem ver Liniers, sem tietar. Fazer o que se a pessoa comemora mais que os Argentinos o bicentenário e depois tem que correr atrás da vida numa quarta-feira de cinzas.

Estou escrevendo agorinha mesmo um recado enorme para mim mesma que vai ficar grudado na geladeira em letras garrafais: “MACANUDA, DIA 03 VAI VER O LINIERS!”. Senao capaz que eu coma mosca denovo!

Macanudo: o Traço Simples das coisas…

20 maio
 
 

 

 

 

Meu cartunista argentino preferido ganha um documentário!!!!

 

 

Estréia no próximo dia três de Junho um documentário sobre o cartunista Ricardo Liniers , pessoalmente meu  desenhista favorito na Argentina.  Ex-publicitário, Liniers começou sua carreira como cartunista publicando no jornal Pagina 12 em 1999. Em 2002, a cartunista Maitena, lhe apresenta aos editores do jornal La Nación aonde vem publicando suas tirinhas desde então. Sua obra mais famosa – e objeto número um de consumo para aficionados –  é Macanudo  ( como bem legal, bacana, em português). Nela há uma série de pingüins, monstrinhos, gatos, duendes, azeitonas com humor ácido, crianças e, meu favorito, o homem misterioso, em tirinhas que vão do abatido ao ingênuo, do doce ao infantil. Em uma simplicidade única que faz de Liniers um grande e despretensioso desenhista.  

O Homem misterioso, um dos meus personagens favoritos

 

Além de Macanudo, Liniers tem uma série autobiográfica intitulada “Cosas que te pasan se estas vivo”, entre um milhão de outros projetos como a parceria com o cantor e compatriota bacanérrimo Kevin Johansen.  

 

 

 

 

Em tour pela Inglaterra a partir do dia 28, Liniers acompanha com incursões visuais o show de Johansen, uma parceria que rendeu o belíssimo livro “OOPs!” em que ilustra as canções de Johansen.  Primeiríssimo livro adquirido em terras porteñas.Embora seu fan club esteja em alta, fale-se um montão de coisas sobre o Liniers. Que sua obra é infantil, inocente, naive, que aborda a si mesmo, etc. Numa argentina over politizada, nem todo mundo tem que satirizar.  Com um climinha ora derrotista, ora de auto otimista, seus doces personagens vem o mundo de uma maneira terna e melancólica. “Meus quadrinhos têm uma alma meio tangueira, uma coisa argentina de alimentar frustrações”, disse uma vez Liniers.

 

As tirinhas sao macanudas!

 

As “historietas” ou tirinhas na Argentina são bastante populares. Literatura em sua própria linguagem, um mundo adjacente ao das palavras, muitas vezes prescindindo delas, um deleite sul-americano que, aos poucos, vem me ganhando. Em um país cuja ilustração é muito valorizada, os cartunistas são presença abundante ( Vide Quino, Maitena, Cristian Dzwonik , Roberto Fontanarrosa, Cristóbal Reinoso, entre tantos outros) e com grande audiência nos jornais locais, a figura de Liniers se destaca.

Senhor Macanudo, Ricardo Liniers

Segundo a diretora do documentário Franca González, de uma estádia no Canadá, e da observação diária do desenhista em seu afobamento por traduzir o que via para o desenho, nasceu o desejo de transformar-lo em filme. Por dois meses, Gonzalez dividiu com Liniers uma casa no extremo norte do mundo e, aos poucos, foi se apaixonando por sua dedicação ao desenho. “Comecei a filmá-lo como se fosse um jogo. Ele me incluiu em alguns dos seus desenhos. Pouco a pouco, o cotidiano se converteu em vinhetas e vídeo”, conta em seu blog.

Eu, que já havia comido mosca na última apresentação de Johansen e Liniers no Centro Cultural Konex, em Buenos Aires, há alguns meses atrás, pretendo estar nas primeiras fileiras da pré-estréia do documentário “O traço simples das coisas” no dia 27 de maio no Museu de Arte Lationoamericano de Buenos Aires (Malba). Acho que vai ser Macanudo demais!!!!