Tag Archives: bicentenário

Argentina quer se conhecer melhor

26 out

Atenção turistas!Amanhã , quarta-feira, é um dia meio morto no país.O feriado diferente é o censo argentino que restringirá as atividades comerciais do país, fechará todos os restaurantes, ficando proibidos também espetáculos, cinemas, atividades esportivas e tudo mais que é divertido por aqui. Façam sua matulinha de comida e aproveitem para ver a cidade em um ritmo diferente se você não é argentino, como eu. De repente, vale aproveitar os dias lindos de primavera para um “asado”, ou churrasquinho, como dizemos em terras brasilis. Vai ficar tudo fechado até as 20hrs. A idéia é manter a população em casa para que um dos 650 mil “censistas” possam encontrá-los. O censo é realizado pelo polemico INDEC (Instituto Nacional de Estatísticas e Censos) que vive sob fogo, sendo questionado permanentemente por suas números e índices, principalmente aqueles que medem a inflação no país. O governo que conhecer melhor os dados demográficos e econômicos do país.

E, pela primeira vez, incluirá perguntas sobre a população afro descendente do país. Espero ansiosamente estes dados porque sempre nos perguntamos o que aconteceu aos negros argentinos.  Também querem saber mais sobre os “pueblos originários”, os indígenas daqui tão negligenciados quanto o resto da América latina. O censo acontece simultaneamente em 70 países,uma vez a cada dez anos e  também incluirá perguntas sobre a população “descapacitada” do país. Os primeiros resultados se conhecerão em dezembro, mas os dados consolidados não estarão disponíveis em completo até dezembro de 2011. O governo pede que todo mundo fique em casa ou garanta pelo menos uma pessoa por lar presente entre as 8h da manha e 20hrs.

O governo diz ainda que os turistas também participarão do censo, mas vamos combinar né? Ainda não consegui descobrir se os parques estarão abertos, mas se a resposta for positiva, minha dica é fazer hoje a cesta de picnic de amanha e aproveitar a cidade florescendo na estação que antecede o verão nos Bosques de Palermo, onde sempre estou nos finzinhos de tarde caminhando.

PARA SABER MAIS SOBRE O CENSO ARGENTINO ACESSE:

http://www.censo2010.indec.gov.ar/index.asp

Anúncios

Feliz Aniversário Avenida de Mayo!

9 jul

Uma charmosa aniversariante!

Hoje na Argentina  é feriado, se comemora Dia de da Independência (Aniversario da Declaração de Independência pelo Congresso de Tucumán em 1816). Mas, uma das melhores comemorações é da Avenida de Mayo que também está aniversariando hoje.  A festa já começou na Avenida com a Rua Luis Saenz Peña que terá mais 500 bailarinos folclóricos dançando, entre outras atrações.

O belissimo Palacio Barolo, inspirado na Divina Comédia

Parece que é o único aniversário de rua que se celebra por aqui. Mas, a Avenida de Maio é mesmo muito especial.  Um marco urbanístico da cidade, nascida em 1894, foi uma das primeiras da América do Sul a ter arranhásseis ( como o lindíssimo Palácio Barolo, inspirado na Divina Comédia de Dante), foi casa também do primeiro metrô desta comarca do mundo, a linha “A” do Subte de Buenos Aires ( onde muitos vagões originais ainda podem ser observados) ,  o primeiro elevador da cidade, além de testemunha de incidentes historicos fundamentais para a história deste país.

Linda desde o príncipio

 E é linda, com o outono ganhou tons alaranjados e um charme todo especial no despir-se das arvores. Agora, com o inverno é a charmosa casa de arvores monumentais que hibernam em uma das mais agitadas artérias da cidade. Parabéns, Avenida de Maio, muitos anos de vida para você!

Volver

1 jun
 
 

 

Volver… con la frente marchita,            
Las nieves del tiempo platearon mi sien…
Sentir… que es un soplo la vida,
Que veinte años no es nada,
Que febril la mirada, errante en las sombras,
Te busca y te nombra.
Vivir… con el alma aferrada
A un dulce recuerdo
Que lloro otra vez…

 

  Diz o ditado que uma imagem fala mais que mil palavras. Uma semana depois do Bicentenário, que levou seis milhões de pessoas as ruas de Buenos Aires para celebrar os 200 anos da Revolução de Maio, os quatro dias de shows, apresentações e desfiles continuam sendo o assunto de jornais e revistas argentinos.

Presença massiva do povo das ruas

 A televisão reprisa os shows sem cessar, os jornais tentam explicar a presença massiva do povo das ruas e os cronistas enchem suas colunas de explicações sociológicas sobre a presença da população nos festejos.

Argentinos

A verdade é que se fala muito sobre o abatimento argentino após a gravíssima crise econômica que atingiu o país em 2001 e continua, com intensidade posterior discutível, reverberando até os dias de hoje.

 Longe da unanimidade e do consenso coletivo, os argentinos discutem seus problemas a portas abertas e poucos esperavam que a celebração tivesse um quorum tão intenso e muito menos que o evento não seria usado como palco para protesto.

 

 

Pelo contrário, argentinos, o povo mais politizado do planeta( humilde opinião desta bloggeira), capazes de fazer “piquetes” para discutir o sexo dos anjos, estiveram nas ruas embalados por um júbilo nacionalista contagiante, sem querelas, nenhuma grande contenda  (a não ser a protagonizada pela governante mor  contra o chefe do governo em Buenos Aires. Nada que um café  na casa Rosada não resolva). Sem juízo de valores.

 

 

Como é impossível descrever o cheiro, a luz, o som, o clima e as sensações que presenciamos neste período simbólico da história da Argentina, por mais retórico que alguém seja, deixo aqui as fotos de Fernando Portabales que falam mais do que um milhão de palavras, dando cara ao Bicentenário.

Comi Mosca Liniers!

28 maio

Ontem, por volta de umas sete da noite, me dei conta que havia esquecido do avant premiere do documentário El Trazo simple de las Cosas sobre o Liniers que eu queria tanto tanto tanto ir. Fiquei histérica dando ataque que nem travesti de BR em casa quando vi que esqueci de passar na produtora Ojo Cine para comprar os ingressos. Aqui do lado a produtora!  Enfim, dia 03 de junho estréia nos cinemas.

Eu vou, sem ganhar de brinde meu livro Macanudo, nem ver Liniers, sem tietar. Fazer o que se a pessoa comemora mais que os Argentinos o bicentenário e depois tem que correr atrás da vida numa quarta-feira de cinzas.

Estou escrevendo agorinha mesmo um recado enorme para mim mesma que vai ficar grudado na geladeira em letras garrafais: “MACANUDA, DIA 03 VAI VER O LINIERS!”. Senao capaz que eu coma mosca denovo!

Argentina é força bruta

26 maio
 
 
 
 

Acrobatas do grupo Fuerza Bruta na Avenida Diagonal

“Viva La pátria, carajo!”. Assim o argentino Fito Paez começou o show de encerramento dos quatros largos dias de comemoração pelos duzentos anos da Revolução de Maio, que outorgou autonomia ao seu país. Três horas antes nos retorcíamos de emoção, com olhos marejados, pelos de todo corpo arrepiados, queixos caídos, palavras tragadas para dentro diante do espetáculo de proporções helênicas que cruzou a Avenida Diagonal vindo da Praça de Maio.

 O grupo Fuerza Bruta usou uma série de alegorias para contar a história do Bicentenário Argentino. Houve chuva de papel, espuma, penas, água, palha em um espetáculo que deixou extasiada a gente, asfixiado de emoção o público que, não cabendo nas calçadas trepava em prédios,  árvores, postes, bancas de revistas e andaimes. Para se ter uma idéia, dois milhões de pessoas assistiram ao desfile, segundo li, mais assistência do que o enterro de Evita.

Multidao em extase

Tradicionais taxis trazem dançarinos e músicosDos tradicionais taxis portenhos saltavam casais de bailarinos de tango movidos pela doçura dos acordeons que tocavam o emblemático clássico nacional “Volver”, numa cena tão delicada que fez latejar o coração da gente. No barco, que trouxe os imigrantes, acrobatas se penduravam num balé incrível tricotado nas alturas, enquanto a constituição argentina pegava fogo pendurada em um andaime.

Com carro que trouxe as madres de mayo, mulheres cujos filhos desapareceram na história, veio também o frio causado pela chuva que caia eternamente nas mães destituídas dos seus.

Chove e faz frio para as maes sem filhos

Os soldados derrotados nas Malvinas arrastavam seus corpos fracassados pela rua numa marcha lúgubre e desiluda. Enquanto isso, em outra alegoria, xamãs verdadeiros abençoavam o público. 

Homenagem aos mortos de Malvinas

Piqueteros de Perón

Os “piqueteros” de Perón lembravam uma época de aspirações comunistas distribuindo panfletos, entoando gritos de guerra e faixas de apoio ao general e sua mulher, Evita.  Até a bancarrota argentina esteve representada por uma alegoria que trazia acrobatas envolvidos em um vendaval de dinheiro, ora rasgando notas,ora atirando as células ao povo.Noalto do carro, as cotações do dólar não paravam, uma óbvia referencia ao desvalorização da moeda.  

Na representaçao do povo que cruzou os Andes chega a nevar na avenida

Nesses quatro dias de festa, estivemos recorrendo as ruas da cidade com nossa curiosidade brasileira, absorvidos pela energia que nos consumia, pés ardendo de percorrer largas distancias, corações acelerados com o descobrir de novas coisas e apaixonados pela latinidade que a cidade nos despertava. Submergidos de carona no despertar de uma nova era de outro povo, e entusiastas da felicidade alheia, chegamos a desejar o mesmo bem a uma pátria que não é nossa.

Soldados Vencidos

Questionamos nossas diferenças apenas para chegar à conclusão que não existem muitas. E que o futebol não é retórica coerente para nosso isolamento.  Concluímos que existem mais similaridades que distinções, mais amor que distorções.  E que, como disse Eduardo Galeano, somos o povo que desde a infância da história nos acostumamos a perder e que isso é mais um motivo para nossa coesão.  Nesse 25 de maio, vivendo aqui, me corrijo : não é happy birthday e sim parabéns Argentina!

Parabéns Argentina!

Soy Loco por ti América

23 maio

No palco Gil e León Gieco cantam "La Cigarra"

Mágico, indescritível, sensacional, incrível, comovente assistir o show do Gilberto Gil às 02hrs da noite de ontem, a passos do Obelisco, com nada mais, nada menos, de um milhão de pessoas. Com um repertório que incluiu Tempo Rei, Vamos Fugir, Palco, Soy Loco por Ti América, Toda Menina Baiana, entre outras canções. Gil contagiou os porteños. E levou esta humilde brazuca aqui ao delírio numa noite inenarrável de integração latino americana de fazer arrepiar os pelinhos da nuca, bater ritmado o coração e arrancar sorrisos duradouros.

 

Além de Gil, a noite contou ainda com momentos grandiosos como a participação do cubano Pablo Milanés, que além de seus sucessos, teve a gentileza de incluir no seu repertório a canção dele com o Chico Buarque “Como se fosse a primavera” em um momento sublime que precedeu o show de Gil.

 

 

 Hoje têm mais, às 19h toca a velha guarda da Portela, mas um momento imperdível da festa. Mas, vou deixar as sandálias de prata em casa, para esse samba, meus pés em frangalhos, vão de tênis.  

Um milhao de pessoas assistiram os shows na Av. 9 de Julio na noite de ontem

Sobre Homens e Montanhas: Patagônia Brothers rumo ao cume do Everest

18 maio
 
 
 

Patagonia Brothers rumo ao pico da montanha mais alta do mundo

Tenho uma esquisitice desde menina.  Há muitos anos levo dentro uma obsessão pelo Everest. Não, nenhuma vontade de arrastar esta carcaça gorducha até o topo. E sim um interesse enorme pelos homens e mulheres que tem essa ambição, além de abissal curiosidade sobre o lugar e sua topologia. Leitora voraz de toda leitura sobre o assunto, me mantendo sempre informada, já esgotei boa parte da literatura clássica sobre o assunto.

 Dos diários de Edmund Hillary, primeiro ocidental a escalar a montanha em 1953 com seu

o Neozelandes Edmund e o sherpa Tanzing, supostamente os primeiros a conquistar a montanha

 companheiro sherpa Tenzing Norgay, ao Best Seller de John Krakauer, que relata uma das maiores tragédias acontecidas na montanha em 1996, com o padecimento de 19 pessoas, não me escapa nada sobre o tema. Quanto adolescente cheguei a ter um pôster grande da montanha fixado na direção da minha cama, assim pelas manhas meus olhos se abriam primeiro para o pico no Himalaia e depois para o resto do mundo.

Achei que estava curada. Pensei que talvez pudesse me interessar pelo Aconcagua, já que moro por aqui na Argentina. Mas não, não me prende a atenção nenhum outro pico; a fixação segue sendo a montanha mais alta do mundo.  No entanto, para não fugir do mote hermanitos, minha excentricidade achou espaço para manifestar-se nas leituras diárias ( as vezes várias vezes por dia) da saga dos gêmeos Patagônicos Damien e Willie Benegas que neste momento estão na montanha tentando, como tantos outros, conquistar seu cume. Para meu deleite, e de meu peculiar gosto literário, os irmãos  mantêm um blog sobre sua vida em uma das regiões mais inóspitas do planeta, relatando o cotidiano de uma cordilheira que parece querer cuspi-los de lá.

 
 
 

Patagonia Brothers

Experientes montanhistas, entre os melhores da Argentina, os irmãos ambicionam conquistar  o sonho de consumo da tribo das alturas :  

os 7 picos mais altos de seus respectivos continentes (Aconcagua, Pirâmide de Carstensz, Denali ,Elbrus, Everest ,Kilimanjaro  e Vinson, uma façanha que, até hoje, apenas 100 alpinistas alcançaram (ps: parece que alpinista é um termo ultrapassado) .  Agora, enfrentam os caprichos da na natureza a espera de uma janela de oportunidade para uma exitosa ascensão.  Repleto de vídeos, surpreendentemente bem escrito, com fotos de tirar o fôlego ( mais um efeito do ar rarefeito), o blog é uma aventura moderna, uma saga incrível rumo as entranhas da Ásia.

Os irmaos tentam vencer obstáculos de um dos lugares mais inóspitos do mundo

Além do diário de bordo dos dois, e hospedado na sessão de blogs do jornal argentino La Nación, há também um espaço compartilhado pelos irmãos e pelo único integrante da equipe que não é montanhista profissional, o executivo porteño Leonardo McLean que,

McLean

 com o Everest carimba sua presença nos sete picos com uma distinção ainda mais honrosa. Mclean começou a escalar apenas aos 42 anos de idade e pretende conquistar a montanha na tenra idade de 49 aninhos.

 Hoje, pela manha, o grupo anunciou que pretende chegar ao pico no domigo, dia 23, por volta do da meia noite horário daqui, as 7hrs da manha na cordilheira, coincidindo com os festejos do bicentenário da independência argentina. Muy patrióticos! Para quem, como eu, gosta de aventura e emoção nos extremos gélidos do planeta.

Confira Aqui

E aqui